TENHA MEDO DO PÃOZINHO, NÃO DA MANTEIGA!!



A HISTÓRIA DO COLESTEROL - PARTE II


NÃO EXISTE nenhum estudo científico de ALTO NÍVEL DE EVIDÊNCIA  que comprove CAUSALIDADE entre Gordura Saturada e Doença Cardiovascular

ESTE RELATO HISTÓRICO PODE SER ENCONTRADO EM DETALHES NO LIVRO " GORDURA SEM MEDO" Original: The Big Fat Surprise.








     Em 1956, Ancel Keys recebeu uma verba anual de 200 mil dólares do Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos,  para realizar um novo estudo, desta vez envolvendo sete países incluindo Itália, Grécia, Iugoslávia, Finlândia, Holanda, Japão e Estados Unidos, isto após receber uma crítica quanto aos padrões epidemiológicos do seu primeiro estudo.



 Bom, para selecionarmos bons estudos, levamos em conta um padrão chamado"randomização" e os pesquisadores seguem certos protocolos para obter uma amostra suficientemente aleatória.

      No entanto, Keys NÃO levou estes critérios em consideração. Muito pelo contrário, ele mesmo escreveu sobre seus interesses nestas regiões e foram os lugares onde obteve um apoio entusiástico. Keys descobriu o que esperava: uma forte correlação entre o consumo de gordura saturada e mortes devidas a doenças do coração. Ele havia padronizado CUIDADOSAMENTE os diagnósticos de infarto e outras doenças coronarianas em todos os países estudados.

    Será mesmo? Apesar dos resultados incríveis encontrados por Keys certos problemas incômodos não comprovavam a hipótese. Depois de 15 anos, em 1984 Keys fez uma revisão dos dados coletados, só que dessa vez levando em conta outras causas de morte. Os resultados, no entanto, não o satisfaziam, Embora houvesse uma CORRELAÇÃO entre a dieta de baixo teor de gordura saturada e um número menor de mortes por doença cardíaca, isso não existia quando se levava em conta a mortalidade total.

     Em suma, nos Estados Unidos os relatos de Infarto Agudo do Miocárdio passou de uma "meia dúzia" em 1900 à principal causa de mortes em 1950. Culparam a gordura saturada por conta do seu efeito no "coitado" do colesterol. E o pior de tudo, essa ideia foi aceita antes mesmo de ser  DEVIDAMENTE COMPROVADA.

     Dos anos 70 até os dias de hoje, aumentou o consumo de frutas em 17% e de cerais e grãos em 29%. Não só isso, a quantidade de gorduras dos alimentos foram reduzidas de 40% para 30% do total de calorias, ou até menos que isso. Com o corte da gordura das dietas, começou-se a consumir mais CARBOIDRATOS.

 CONSEQUÊNCIA?

    Segundo Nina Teicholz no seu livro "GORDURA SEM MEDO", após 40 anos da criação das novas diretrizes nutricionais que havia menos gorduras e mais carboidratos em suas recomendações, a proporção de obesos nos Estados Unidos passou de 1:7 para a proporção de 1:3, ou seja, a cada 3 norte-americanos 1 é obeso. Hoje temos a obesidade e as comorbidades associadas como as mais comuns patologias do século.


     O que quero deixar claro para vocês é o seguinte: Não existe nenhum estudo científico de ALTO NÍVEL DE EVIDÊNCIA  que comprove CAUSALIDADE entre Gordura Saturada e Doença Cardiovascular. Existem muitos estudos que levantam CORRELAÇÃO, assim como vender carros pode causar Diabetes.

"Tenha medo do pãozinho, não da manteiga."

TEXTO:
Dr. Luís Eduardo Figueiró - Médico  
INSTAGRAM:  @drluisfigueiro
Consultório Médico: 
Endereço: Av. Brasil, n 1.714. Sala 503 - Bairro Funcionários - Belo Horizonte - MG
Contato: WhatsApp (31) 98312-8470 / TEL.: (31) 3261-9498.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent

recentposts