SAIBA OS EFEITOS DO JEJUM NO SEU CÉREBRO!



Enquanto  alguns tendem a se concentrar em perda de peso e diabetes tipo 2, existem muitos outros benefícios, incluindo autofagia (um processo de limpeza celular), lipólise (queima de gordura), efeitos anti envelhecimento e anti-apreensão efeitos.



Como o jejum afeta a função cerebral? Há muito poucos dados humanos confiáveis, mas alguns dados animais muito interessantes. Há muitos benefícios potenciais. 




Em todos os mamíferos, um dos traços comportamentais altamente preservados é que a atividade mental aumenta quando está com fome e diminui com a saciedade.

Estudos provaram que a acuidade mental não diminui com o jejum. Um estudo comparou as tarefas cognitivas no início e após um jejum de 24 horas. Nenhuma das tarefas - incluindo atenção sustentada, foco atencional, tempo de reação simples ou memória imediata foram consideradas prejudicadas.

Existem também testes em ratos muito interessantes de doenças neuro-degenerativas. Os ratinhos mantidos em jejum, em comparação com ratinhos normais, mostraram menor deterioração relacionada com a idade dos neurônios e menos sintomas de doença de Alzheimer, doença de Parksinon e Huntington.

Nos seres humanos, os benefícios para o cérebro podem ser encontrados durante o jejum e durante a restrição calórica (CR). Durante o exercício e RC, há aumento da atividade sináptica e elétrica no cérebro. Em um estudo de 50 indivíduos idosos normais, o teste da memória melhorou significativamente com 3 meses de CR (redução de 30% nas calorias). Memória e insulina

Neurogênese é o processo em que as células-tronco neurais se diferenciam em neurônios que são capazes de crescer e formar sinapses com outros neurônios. Tanto o exercício como a CR parecem aumentar a neurogênese através de vias incluindo o BDNF.


Ainda mais interessante, o nível de insulina em jejum parece ter uma correlação inversa direta com a memória também. Ou seja, quanto mais baixa for a insulina em jejum, maior será a melhora na pontuação da memória.

Aumento da gordura corporal (medida pelo IMC) também tem sido associada ao declínio das habilidades mentais. Usando medições detalhadas do fluxo sanguíneo para o cérebro, os pesquisadores ligaram um IMC maior ao fluxo sangüíneo diminuído para as áreas do cérebro envolvidas na atenção, raciocínio e maior função.

Certamente jejum pode ter benefícios significativos na redução de peso, diabetes tipo 2, juntamente com suas complicações - danos oculares, doença renal, dano nervoso, ataques cardíacos, derrames, câncer. No entanto, existe a possibilidade de que também possa prevenir o desenvolvimento da doença de Alzheimer.



O método de proteção também pode ter a ver com a autofagia - um processo de auto limpeza celular que pode ajudar a remover as proteínas danificadas do corpo e do cérebro. Uma vez que AD pode resultar do acúmulo anormal de proteína Tau ou proteína amilóide, o jejum pode fornecer uma oportunidade única para livrar o corpo dessas proteínas anormais.

Traduzido e adaptado por Flávia Trajano
Edição de Imagens: Flávia Trajano
Criadora da Fan Page e administradora do grupo : JEJUM INTERMITENTE SEM MITOS

Dr Jason Fung
Artigo original (AQUI)

Um comentário:

  1. Nossa ta dificil decidir o q fazer.uma postage diz que é bom outra diz q faz mal.continuo na duvida

    ResponderExcluir

Recent

recentposts