Dieta com baixo teor de carboidratos é a favorita das atrizes Jennifer Aniston,Gwyneth Paltrow e Madonna: cientistas descobrem que "podem prevenir o diabetes"


Dietas com BAIXO TEOR de carboidratos minimizam o consumo de pão, arroz e macarrão.

Ajuda a diminuir a resistência à insulina em 30% em apenas 24 horas








É a dieta que as celebridades como Gwyneth Paltrow, Madonna, Jennifer Aniston usam para ajudá-las a manter a forma.


Atualmente os cientistas descobriram que as refeições com baixo teor de carboidratos também têm um benefício para a saúde - elas podem prevenir o diabetes.

O estudo realizado por especialistas da Universidade de Michigan descobriu que três refeições com baixo teor de carboidratos em 24 horas diminuíram a resistência à insulina em mais de 30%.










No entanto, os pesquisadores ficaram chocados ao descobrir que exercícios antes de uma refeição noturna, anteriormente utilizada para ajudar com diabetes, na verdade aumentou os níveis de açúcar no sangue, disse a professora Katarina Borer.

O fenômeno das dietas de baixo carboidrato - minimizando a ingestão de pão, arroz ou massas - foi utilizado por estrelas, incluindo a atriz de Hollywood Miss Paltrow.

Outras estrelas  Madonna a Jennifer Aniston, Renee Zellweger e Cindy Crawford usaram todas as dietas da moda para manter-se em forma.


Críticos alegaram que a  dieta força as pessoas a dependerem de gorduras não saudáveis para satisfazer seu apetite e podem evitar algumas frutas e vegetais frescos.

O Professor Borer, da Universidade de Michigan, disse:
 "O que é notável sobre as nossas descobertas é que elas mostram uma modificação dietética simples pode reduzir a quantidade de carboidratos das refeições dentro de um dia, e prevenir  a resistência à insulina".

Ele também disse que pode "bloquear o caminho para o desenvolvimento de pré-diabetes".

"A ingestão de dietas ricas em carboidratos, como  tem mostrado nos dois estudos mencionados, leva ao aumento da secreção e resistência de insulina em jejum", acrescentou."E ainda mais surpreendente é que o exercício antes das refeições fez os indivíduos mais intolerantes aos carboidratos  - ou seja, aumentou os níveis de açúcar no sangue à noite.

A insulina é um hormônio crítico no metabolismo e regula a glicose no sangue para que nossas células possam usá-lo para a energia e outras funções.Se somos resistentes à insulina, é menos eficaz na remoção de glicose da corrente sanguínea e o pâncreas deve produzir mais do hormônio para ajudar. Isso pode eventualmente levar a diabetes.
No estudo, 32 mulheres pós-menopáusicas, metabolicamente saudáveis ​​foram divididas em quatro grupos e receberam refeições de 30 ou 60 por cento de carboidratos com ou sem exercício de intensidade moderada antes das refeições.O grupo com baixo teor de carboidratos mostrou uma redução na resistência à insulina após a terceira refeição à noite - mas o grupo com alto teor de carboidratos sofreu de alta insulinia pós-refeição, disse o professor Borer.



A dieta do grupo de alto teor de carboidratos era de acordo com a ingestão diária de carboidratos de 45 a 60 por cento, era de acordo com a recomendação do departamentos de Agricultura e Saúde e Serviços Humanos nos EUA.

Professor Borer disse: "Nós mostramos, um dia de redução na resistência à insulina após a terceira refeição de baixo carboidrato comido à noite, por isso pode-se argumentar que isso é transitório e insignificante."Mas pelo menos os outros dois estudos onde as refeições com alto teor de carboidratos foram alimentados os voluntários por cinco e por 14 dias,  mostram que o resultado era preocupante.

"Esses indivíduos desenvolveram aumento da secreção de insulina em jejum e resistência à insulina, aumento da liberação de glicose pelo fígado, que produziu açúcar elevado no sangue e reduziu drasticamente a oxidação de gordura que contribui para a obesidade.

"Estes foram então os efeitos mais persistentes que poderiam ser um caminho para pré-diabetes e diabetes."

Como o exercício não diminuiu a resistência à insulina, sugere a reação da insulina que os indivíduos experimentaram após a refeição noturna foi impulsionada por uma resposta intestinal aos carboidratos.


Mas isso não significa que o exercício não influencia a insulina, disse ela.O laboratório do professor Borer planeja examinar o momento das refeições e se o efeito de diminuição da insulina pode ser produzido pela manhã e se o açúcar no sangue irá diminuir quando as mulheres se exercitam após refeições de baixo carboidrato.

Artigo original (AQUI)

Traduzido e adaptado por Flávia Trajano




Criadora da Fan Page e administradora do grupo : JEJUM INTERMITENTE SEM MITOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent

recentposts